20210221_162457_2

Por Ana Paula Yajima – Diretora Pedagógica do Colégio Santa Úrsula

Aprendizagem Baseada em Projetos

Colaboração, Participação e o Ensino centrado no Estudante

Em meio a uma gama de novas metodologias de aprendizagem, nem tudo que vemos é tão novo assim… Vocês certamente já ouviram falar muito sobre Metodologias Ativas, tão presentes nas dinâmicas de ensino contemporâneas, e também nas práticas do Colégio Santa Úrsula.                                            

Reforçando o objetivo das Metodologias Ativas: incentivar os estudantes para que aprendam de forma autônoma e participativa, partindo de problemas e situações reais. Nessa proposta, o estudante está no centro do processo de aprendizagem, participando ativamente e sendo responsável pela construção do conhecimento.

Hoje vamos trazer uma das possibilidades dessas metodologias: a Aprendizagem Baseada em Projetos.

Projetos, por exemplo, são amplamente adotados no ambiente educacional e nos acompanham desde sempre. É difícil determinar em que momento eles foram inseridos nas práticas docentes, mas é certo que todo Professor já criou ou participou de algum projeto temático, seja uma mostra literária, ou show de ciências, etc.

A literatura especializada nos diz que a Aprendizagem Baseada em Projetos (ABP) é uma metodologia ativa que utiliza projetos como o foco central de ensino, integrando, na maioria das vezes, duas ou mais disciplinas. Os projetos podem surgir de um problema ou de uma questão norteadora, proveniente de um contexto autêntico, envolvendo a investigação, o levantamento de hipóteses, o trabalho em grupo e outras competências até chegar a uma solução ou a um produto final. Nesse contexto, os estudantes devem lidar com questões interdisciplinares, tomar decisões e trabalhar em equipe. Pensamento crítico, criatividade e colaboração são essenciais nesse processo.

PROJETOS X PROBLEMAS

A expressão Aprendizagem Baseada em Projetos surge, às vezes, como sinônimo de Aprendizagem Baseada em Problema, por aparecerem na língua inglesa como Project Based Learning e Problem Based Learning utilizando a mesma sigla, criando certa confusão.

Embora o desenvolvimento de um projeto geralmente ocorra com a resolução de problemas, uma metodologia tem como foco o problema, e a outra, o projeto. Ambas têm como premissas o ensino centrado no estudante e a aprendizagem colaborativa e participativa.  Em geral, a terminologia “aprendizagem baseada em projeto” é aplicada a modalidades em que há um produto tangível como resultado.

E ter um projeto como objetivo final é um grande fator de motivação: os estudantes identificam um sentido para buscar e selecionar informações, relacionar o que encontram com o que já têm, compartilhar ideias com colegas e professores, agir e interagir para chegar ao objetivo.

COMO FUNCIONA A APRENDIZAGEM BASEADA EM PROJETOS?

Normalmente, o caminho oferecido aos alunos com essa metodologia é bastante simples:

  1. a) os estudantes recebem um problema;
  2. b) os estudantes devem investigar quais são as possíveis causas desse problema (elaboração das hipóteses);
  3. c) já conhecendo a questão e suas origens, os estudantes precisam definir as táticas para a resolução do erro;
  4. d) com o plano estabelecido, por fim, eles passam à execução do plano.

Dessa forma, a ideia é que o estudante seja capaz de interagir com sua realidade, estabelecer o que há de errado e, de forma objetiva, sugerir soluções e prevenções.

Através dessa metodologia os estudantes passam a se motivar mais e melhoram as interações dentro de seus grupos. Além de permitir aos Professores novas formas de avaliar as dificuldades de cada um e da turma como um grupo, de forma contínua e processual. Dessa forma, a correção de rotas e o planejamento de trilhas de aprendizagem para um dado objetivo se tornam mais assertivos.

Esta metodologia possui suas vantagens também para aplicações no mundo do trabalho, uma vez que são capazes de revelar as lideranças e habilidades de seu grupo. A ABP ajuda o estudante a valorizar a capacidade de cada membro do grupo, reforça o conceito de colaboração entre os profissionais, e permite um sólido Empoderamento Criativo, trabalhando pontos como:

  • Lógica;
  • Visão crítica;
  • Empatia;
  • Sinergia;
  • Liderança;
  • Confiança.

Ao trazermos as Metodologias Ativas para dentro da sala de aula possibilitamos uma série de benefícios ao desenvolvimento da aprendizagem. O principal é a transformação na forma de conceber o aprendizado, incentivando que o estudante pense de maneira diferente e resolva problemas conectando ideias. Visando pavimentar esse cenário com cada vez maior consistência, o Colégio Santa Úrsula firmou parceria com a DreamShaper – voltada a aprendizagem baseada em projetos, a ferramenta vai possibilitar ao Professor maior e melhor acompanhamento de todos os níveis e etapas de um Projeto em suas turmas. Para os estudantes, um ambiente seguro e organicamente acessível para as trocas de idéias, pesquisas e feedback do Professor. Ao longo do segundo semestre vamos implementando esses passos com cuidado e compromisso.

Queremos estudantes cada vez mais proativos, autônomos, criativos e colaborativos e, além de Professores competentes e envolvidos com todas as mudanças paradigmáticas da educação, vamos buscando as ferramentas e estruturas para ajudar os nossos estudantes a explorar um mundo de conhecimento e oportunidades.

Vamos juntos?!